“bullying” na estrada …

"Colour Crash Index"

 

Cor revela traços importantes da personalidade do condutor, conclui seguradora – BMW de Beckman no topo da lista dos mais perigosos.

Os carros de cor preta têm maior probabilidade de se envolverem em acidentes do que os das restantes cores,

revela um estudo de 2004 da seguradora britânica Churchill Insurance…

 

"Colour Crash Index", elaborado pela Churchill Motor Insurance, "mostra a existência de uma correlação direta entre a cor do carro

e a frequência de acidente". Os automóveis pretos, como o BMW de David Beckham, têm o dobro da probabilidade de estarem envolvidos

num acidente que os de cor creme, como o Auburn 851 conduzido por Marlene Dietrich".

 

No entanto, segundo a seguradora, estas ocorrências "têm mais a ver com a personalidade e comportamento do condutor,

do que com a aparência física da própria cor". O diretor do departamento de seguros automóveis da Churchill, Darren McCauley,

refere que a cor do carro que as pessoas escolhem conduzir, nomeadamente as celebridades, "diz algo sobre a sua personalidade"...

 

"É por essas razões relacionadas com a emoção que estão mais sujeitas a estarem envolvidas em acidentes, mais do que propriamente pela cor do carro". Donna Dawson, psicóloga contratada pela Churchill, referiu que, "a cor é importante porque afeta tanto o nosso corpo como a nossa mente".

 

Essa "influência emocional transfere-se para o modo como conduzimos", acrescenta, salientando que foram encontrados

"interessante traços de personalidade olhando para as celebridades e para a cor dos seus carros". A liderar o "Colour Crash Index" aparecem os automóveis de cor preta que "denotam uma personalidade agressiva.

 

Automóveis de cor creme são os mais seguros.

 

No segundo e terceiro lugares da lista estão, respetivamente, os carros prateados que indicam alguém calmo, descontraído

e ligeiramente isolado e os verdes, como o Mini de Mr, Bean, "que podem ser frequentemente escolhidos por pessoas com tendências histéricas".

Os carros com menor probabilidade de terem acidentes são o de cor creme, como Auburn 851 de Marlene Dietrich, que

"denotam pessoas reservadas e controladas".

 

Neste sentido, a Associação de Condutores alemã ADAC, tem também um estudo recente sobre condutores de carros de alta cilindrada…

 

Os participantes do estudo afirmaram que as manobras mais abusivas pertencem especialmente ao repertório dos condutores de BMW

- 50,6 por cento, Mercedes - 32,2 por cento, Audi - 25,9 por cento e Porsche - 8,7 por cento.

 

Mas, para além da potência parece que novamente, também a cor do carro pode ser um indicador de comportamentos mais agressivos.

Um carro preto é visto negativamente por 43,5 por cento dos entrevistados e 9,7 por cento imaginam um condutor agressivo quando veem a aproximação de um carro prateado. O estudo também indica que a maioria dos condutores alemães já foram vítimas, pelo menos uma vez,

de comportamento agressivo nas estradas.

 

A Autobahn é especialmente famosa por ser um ambiente difícil de conduzir, com mais de metade dos condutores a afirmarem terem sido alvo

dos aceleras. No trânsito citadino, a percentagem de pessoas afetadas é de 23 por cento, enquanto nas estradas nacionais se fica pelos 16 por cento.

Ironicamente, apesar de 80 por cento dos inquiridos se ter sentido provocado por condutores mais agressivos, 30 por cento dos inquiridos afirma também que se sente provocada pela condução demasiado lenta de outros condutores.

 

Além disso o comportamento agressivo no trânsito parece estar em ascensão, como um em cada cinco inquiridos a acreditar que a agressividade aumentou nos últimos anos. Atenção: no meio rodoviário em Portugal existem muitos carros de cor preta e cinza.

 

 

 

publicado por Oficial de mecânica às 16:37 | link do post