O Meu Combate - Segurança Rodoviária...

O "Meu" Combate.

 

Portugal não pode continuar a ter milhares de vítimas em cada ano, mortos e pessoas com incapacidades permanentes. O desenvolvimento para um Portugal (gizado pelo FMI e CEE) mergulhado em crise no início dos anos 80, passou por transformar os portugueses em consumidores de carros. Nestes ultimos anos, o parque automóvel passou de 400 mil para mais de 4,5 milhões. Este foi o pretexto para dirigir quase metade da capacidade de investimento do Estado para a construção rodoviária, engordando o sector das obras públicas e concessionárias de auto-estradas.

 

O Estado e a sociedade endividaram-se na suposição de que os níveis ridiculamente baratos do petróleo em termos absolutos se manteriam. O preço (em sangue) pago por esta estratégia foi colossal: em 20 anos morreram cerca de 30.000 pessoas, e ficaram feridas gravemente umas 90.000 pessoas. Foi negligenciada a insustentabilidade deste modelo de "crescimento" e nem o efeito colateral desta “guerra civil” que, tem sido a devastação da população (a guerra colonial matou um número equivalente de portugueses) parece preocupar as Entidades oficiais.

 

Este também é o meu combate em prol de uma classe profissional (Oficiais de mecânica – de assistência rodoviária) e consequentemente, da segurança dos utentes que circulam nas auto-estradas.

 

A empresa Brisa Auto-estradas S.A. quebra as mais básicas e elementares regras do Código da Estrada e das regras de SHST -

na sinalização de acidentes, não cumpre com o estipulado no Código da Estrada; colocando em risco os seus profissionais da assistência e os utentes/clientes.

 

Uma sinalização adequada faz toda a diferença na prevenção de novas ocorrências (acidentes) e assegurará uma circulação segura. Devemos exigir melhor sinalização porque a vida não tem preço.

Fernando Brás

 

Jovem de Alvarelhos morre atropelado na auto-estrada: O jovem era funcionário da Brisa e foi colhido mortalmente, numa altura em que procedia à sinalização na estrada, devido a um acidente que tinha ocorrido pouco tempo antes. http://cambiantevelador2.blogs.sapo.pt/1612.html

 

Agente da PSP atropelado mortalmente junto às obras no Túnel do Grilo: O agente da divisão de trânsito estava de serviço ao pé das obras junto ao Túnel do Grilo, quando foi atingido mortalmente por um carro... http://noticias.sapo.pt/lusa/artigo/9967318.html

 

Um condutor atropelou mortalmente uma trabalhadora da auto-estrada: Vítima da A2 já tinha escapado a outro atropelamento na estrada. Vanda não tinha carta de condução e pouco sabia sobre regras de trânsito, mas, mesmo assim, era ela que muitas vezes pegava na raqueta para alertar os automobilistas quando havia trabalhos na estrada. http://dn.sapo.pt/inicio/interior.aspx?content_id=1133366

 

Duas mulheres morreram terça-feira à tarde na auto-estrada do Norte - A1: Uma das vítimas, residente em Penela, efectuava trabalhos de limpeza de vegetação na auto-estrada, a cargo da empresa Calado & Duarte. http://jn.sapo.pt/paginainicial/interior.aspx?content_id=981843

 

http://cambiantevelador2.blogs.sapo.pt/4211.html

 

(...) As concessionárias de auto-estradas são proprietárias das viaturas da GNR-BT ao seu serviço... Pagam o combustível e a manutenção. A problemática da extinção da Brigada de Trânsito e a consequente, falta de patrulhamento e de apoio na colocação e recolha de sinalização dos meios ao serviço das concessionárias, são razões mais que suficientes para que ocorram eventos (acidentes) muito graves. 

 

http://cambiantevelador2.blogs.sapo.pt/20490.html

 

A meta de uma discussão ou debate não deveria ser a vitória, mas o progresso. Joseph Joubert 

 

 

 

 

 

 

 

publicado por Oficial de mecânica às 00:46 | link do post | comentar