Contramão ...

A partir do Centro de Coordenação Operacional da Brisa é possível saber, em tempo real, o que se passa nas auto-estradas concessionadas. O investimento total do CCO custou cerca de 60 milhões de euros.

 

Um dos projectos pensados para o CCO foi um sistema de detecção dos fluxos de tráfego parado e de incidências de contramão.

Inaugurado a 21 de Dezembro de 2004 o CCO

nasceu da necessidade de centralizar os centros operacionais da Brisa, dispersos pela rede de concessão.

 

“Antes tínhamos os serviços descentralizados pelos diversos centros operacionais. A dispersão, para efeitos de coordenação, era uma ‘menos valia’ no que se refere a uma rápida capacidade de resposta. O CCO é a concentração de toda essa informação que tínhamos dispersa”.

A concentração dá maior eficácia à Brisa, que de imediato tem a informação daquilo que se está a passar ao longo de todas as auto-estradas de Portugal concessionadas à empresa. (Luís Roda - director de coordenação operacional CM 16/01/2005).

 

A informação sobre um acidente, trabalhos de reparação na via ou paragem de um automóvel na berma pode chegar através dos postos SOS; linha azul; comunicações das viaturas de vigilância e assistência; ou ainda dos portageiros.

 

“Este é um projecto muito ambicioso.

 

Vimos de uma situação em que trabalhávamos de forma analógica para uma situação em que trabalhamos de forma digital.

Entre as vantagens trazidas pelo CCO está a possibilidade de tornar a informação para os clientes mais rápida.

O maior número de equipamentos, nomeadamente ao nível de câmaras de vigilância, permite flexibilizar a resposta em termos de coordenação.

 

Para além de uma vigilância de 24 horas consecutivas, o CCO coordena a sua actividade com outras entidades externas, como Bombeiros, Protecção Civil, e as Brigadas de Trânsito da GNR. Apesar de já estar a funcionar em pleno, este projecto só estará completo ao longo de 2005.

 

PERGUNTAS A... LUÍS RODA

(Engenheiro/Director de Coordenação Operacional da Brisa)

 

- Quando é que começou a ser pensado o Centro de Coordenação Operacional (CCO) da Brisa?

- O ‘timing’ de início de operação foi em Janeiro de 2004, mas as questões orçamentais e a idealização de um modelo começaram a ser estudados em 2003.

- Quais os principais objectivos?

- Saber, em pouco tempo, tudo o que se passa no País a nível de auto-estradas concessionadas à Brisa.

- O que é que acrescenta aos anteriores meios?

- Não há comparação possível. Trabalhávamos de forma analógica, hoje trabalhamos com tecnologia digital. A evolução é de tal ordem que comparar com o que tínhamos é irrelevante.

- Quais as principais vantagens deste sistema?

- São só vantagens! O único senão foi as decisões que tivemos de tomar para fazer um investimento na ordem dos 60 milhões de euros.

Mas a melhoria de serviço e, principalmente, a segurança para os nossos clientes compensa o que foi investido pela empresa. O CCO está, no entanto, preparado para receber mais e novas funcionalidades. Estamos a desenvolver com a Universidade de Coimbra um sistema de detecção de fluxos de tráfego e de ocorrências de contramão.

Fontes: http://www.semanainformatica.xl.pt/725/act/600.shtml        http://www.brisa.pt/PresentationLayer/conteudo.aspx?menuid=6

 

 

FERNANDO SANTOS PEREIRA 2006-07-12

Assunto: A Videovigilância e o Acidente em contra mão na Auto-Estrada do Sul Requerimento 

Nº-/X A Sua Excelência O Presidente da Assembleia da República

No âmbito da apreciação na especialidade da Proposta de Lei nº 59/X, a Subcomissão de Segurança Rodoviária visitou a Brisa para se inteirar do funcionamento do sistema de vídeo vigilância... Deviam, por isso, ser escrupulosamente cumpridas as orientações da Comissão Nacional de Protecção de Dados. Durante a visita de ontem à Brisa aconteceu um acidente brutal na Auto-Estrada do Sul, na zona de Palmela, de que resultou uma vítima mortal e um ferido grave. Os telemóveis dos administradores e técnicos da Brisa receberam imediatamente mensagens escritas a informar a ocorrência.

Nessa sequência, foi possível a todos os Deputados ver através da vídeo vigilância instalada, no Centro de Coordenação Operacional, a zona e o próprio acidente. Nada melhor para accionar as medidas de socorro e garantir a segurança para os outros automobilistas.

Este é um claro benefício da vídeo vigilância quando há acidentes. Depois disso, a Subcomissão de Obras Públicas abandonou as instalações da Brisa esclarecida sobre a vídeo vigilância... «a Segurança Rodoviária deve ser o pilar principal da defesa da vídeo vigilância...

O Deputado (Fernando Santos Pereira) http://www.gppsd.pt/actividades_detalhe.asp?s=11593&ctd=2982

 

 

 

 

 

http://www.publico.pt/local/noticia/acidente-com-carro-em-contramao-na-a15-causa-um-morto-1666439

 

publicado por Oficial de mecânica às 16:20 | link do post | comentar