Aos jovens condutores ...

Recém-encartados vão pagar mais 25% pelo seguro do carro.

 

Os condutores com carta há pouco tempo verão o seguro do seu carro ser agravado até 25%.

A medida será aplicada no caso de estes terem menos de 25 anos, ou de terem licença para conduzir há menos de dois anos.

 

Em tempos idos, aqueles que conduziam há pouco tempo eram rotulados com o dito ‘ovo estrelado’ que identificava o carro que conduziam.

Agora, os recém-encartados serão reconhecidos também por um fator distintivo, só que desta vez comporta custos acrescidos.

 

As seguradoras querem aumentar até 25% os prémios da apólice destes condutores, justificando a medida à luz do facto de os jovens serem responsáveis por 24% doas acidentes graves.

 

Agora, o que é necessário ter em conta é que a maioria das apólices não está em nome dos jovens.

Os veículos, normalmente estão em nome de um dos pais.

 

Acontece que no caso de acidente e havendo prova de falsas declarações o seguro não paga os estragos.

 

Uma pequena percentagem dos jovens se regista como condutor habitual sempre que é feito um seguro.

As companhias seguradoras perguntam sempre quem é o condutor habitual do veículo.

Por vezes, o veículo é oferecido a um filho recém-encartado e fica registado em que o condutor habitual é a mãe ou o pai.

 

Porém, se em caso de acidente o condutor tiver menos de 25 anos ou menos de 2 anos de carta e qualquer dos condutores declarados na apólice não tiver essas características o valor da franquia em vigor é duplicado em 8% do capital seguro.

 

A razão prende-se precisamente porque as seguradoras sabem que é com condutores com a faixa etária entre os 18 e os 29 anos que ocorrem os acidentes mais graves.

 

Os recém-encartados não têm direito a bónus e o agravamento pode chegar aos 25% para quem tem menos de 25 anos e +25% se tiver a carta há menos de 2 anos.

 

Esta é a regra em quase todas as seguradoras em Portugal.

 

A cilindrada do veiculo também conta.

Quanto maior for a potencia, mais “caro” é o seguro.

Também neste caso as seguradoras sabem o quanto os jovens gostam de bólides.

 

 “Aprender é descobrir aquilo que já sabemos” Richard Bach

 

 

Seguradora: lucros mais que triplicam em 2012

Até setembro, 37 empresas do setor registaram um resultado líquido global de 441 milhões de euros

Os resultados líquidos das seguradoras que atuam no mercado português subiram 255% para 441 milhões de euros nos primeiros nove meses do ano.
Segundo os dados divulgados esta sexta-feira pelo Instituto de Seguros de Portugal (ISP), das 44 empresas supervisionadas por este instituto, 37 apresentaram lucros no período entre janeiro e setembro, e apenas sete tiveram prejuízos.
Há um ano, das 45 seguradoras existentes, 34 tinham registado lucros.
Já a taxa de cobertura da margem de solvência cresceu de 168% em setembro de 2011 para 254% em setembro de 2012, de acordo com a informação disponibilizada nos relatórios trimestrais da atividade seguradora.
No que toca à produção de seguro direto, esta registou uma quebra homóloga de 10,1 por cento.
Entre janeiro e setembro, os custos com sinistros baixaram 24,2 por cento, sobretudo, devido à evolução do ramo Vida, cuja queda ascendeu a 27,6 por cento. (Notícia: Agência Financeira 2012-12-07)

 

 

 

 

 

publicado por Oficial de mecânica às 23:13 | link do post | comentar