SEGURANÇA RODOVIÁRIA 2011/2020...

A POLÍTICA EUROPEIA DE SEGURANÇA RODOVIÁRIA DE 2011 A 2020.

“Em 2009, morreram ainda 35 000 pessoas nas estradas da União Europeia – uma situação que corresponde à queda de cerca de 250 aviões comerciais de média dimensão cheios de passageiros.

 

Um cenário inimaginável.

 

Mas a sociedade continua ainda a aceitar, de um modo geral, esta situação ou a reprimi-la. A tragédia diária que se desenrola nas estradas da UE continua a passar largamente despercebida…”.

Foi desta forma que a Comissão dos Transportes e do Turismo do Parlamento Europeu (CTTPE) caracterizou e enquadrou a situação atual em termos de sinistralidade rodoviária na União Europeia e expôs os motivos que estiveram na génese do “Relatório sobre a política europeia de segurança rodoviária de 2011 a 2020 (2010/2235(INI))”, aprovado em 21 de Junho deste ano (curiosamente nenhum deputado português integra esta comissão como membro efetivo).

 

Trata-se de um excelente relatório, muito pormenorizado na descrição das principais áreas de intervenção estratégica e com um grau de exigência e ambição superior ao da Comunicação da CEi. A CTTPE reconheceu a evolução muito positiva que se verificou na última década, no que se refere à diminuição de vítimas mortais em acidentes rodoviários no Espaço Europeu, para o qual contribuiu de forma decisiva o Terceiro Programa de Ação Europeu para a Segurança Rodoviária, que permitiu que, desde 2001, cerca de 78 000 vidas humanas pudessem ser salvas .

 

No entanto, não deixou de tecer duras críticas à actuação da Comissão Europeia (CE) nesta matéria, referindo - «É lamentável que a Comissão, antes de expirar o Terceiro Programa de Acção Europeu para a Segurança Rodoviária, não tenha aproveitado para apresentar o projecto de um novo programa de acção. Em vez disso, apresentou uma comunicação estratégica, muito mais fraca nos seus efeitos. É insuficiente um tal enquadramento de referência …»

Neste sentido, recomenda que a CE promova, até ao final de 2011, o desenvolvimento de um programa de ação que inclua um conjunto de medidas,
claramente calendarizadas e dotadas de mecanismos de monitorização com vista à realização regular de controlos de desempenho e de avaliações intercalares. Recomenda ainda, que para além do objectivo global proposto de redução, até 2020, do número de mortes vítimas de acidentes de viação na União Europeia para metade das registadas em 2010, sejam também estabelecidos os seguintes objectivos específicos:

- Redução de 60% do número de vítimas mortais entre as crianças até aos 14 anos;
- Redução de 50 % do número de peões e ciclistas mortos em acidentes rodoviários, e;
- Redução de 40% do número de feridos em perigo de vida, com base numa definição harmonizada à escala da UE, que cumpre desenvolver rapidamente.

Para além das áreas de intervenção de curto/médio prazo partilhadas com a CE, o Relatório da CTTPE teve como preocupação adicional a adopção de uma política de segurança rodoviária estrutural de longo prazo, das quais destaco as seguintes propostas:

- A elaboração de uma estratégia complementar a longo prazo, que vá além do horizonte temporal de 2020 e que tenha como objectivo evitar vítimas mortais ("visão zero");
- A criação com carácter prioritário, até 2014, do cargo de coordenador da segurança rodoviária da UE no seio da Comissão Europeia;
- A criação de um fórum de cooperação composto por procuradores, autoridades policiais, associações de vítimas e observatórios de segurança rodoviária com o objectivo de proceder ao intercâmbio das melhores práticas e de reforçar a cooperação no sentido da melhoria da aplicação da regulamentação rodoviária, tanto a nível nacional como transnacional;
- O reconhecimento oficial do 3.º Domingo de Novembro como Dia Mundial da Memória das Vítimas da Estrada, a fim de chamar a atenção do público para esta problemática;
- A elaboração de uma estratégia para reduzir os acidentes dos trabalhadores “in itenere” e o incentivo à elaboração de planos de segurança rodoviária nas empresas;
- A melhoria dos indicadores e dos dados, nomeadamente a harmonização dos conceitos de "ferido em risco de vida", "ferido grave" e "ferido ligeiro" a fim de possibilitar a comparabilidade das medidas e dos seus resultados nos vários Estados-Membros;
- A promoção de uma mobilidade mais sustentável através da utilização de transportes mais seguros e mais amigos do ambiente, como a marcha, o ciclismo, e os transportes colectivos;

Em jeito de conclusão salientamos que o Parlamento Europeu colocou a fasquia num patamar muito mais elevado do que aquele que estava a ser proposto pela CE, no entanto, será das diretrizes propostas pelas duas entidades europeias que sairá o futuro Plano de Ação Europeu de Segurança Rodoviária. Com esta conjugação de esforços e empenho, o objectivo de, até 2020, reduzir para metade o número de vítimas mortais registadas em 2010 será certamente cumprido!

Paulo Marques - Presidente da ANSR

http://www.automotor.xl.pt/Notícias/DetalheNoticia/tabid/118/itemId/10013/Default.aspx

 

“Mortes vão continuar”

 

Manuel João Ramos, Presidente da Associação dos Cidadãos Auto-Mobilizados, fala sobre jovem atropelada por eléctrico.

Correio da Manhã

- Quem são os responsáveis numa morte trágica como a da jovem ontem colhida pelo eléctrico?

 

Manuel João Ramos

– Aqui o condutor e a vítima são os menos culpados. Simplesmente, criar uma área de diversão nocturna numa zona onde passam todos os tipos de
transporte não tem lógica. A Câmara de Lisboa deve reflectir sobre o trânsito e as velocidades naquela zona.

 

Qual a solução para evitar mais casos destes?

– Felizmente, este é um caso isolado e não há muitos exemplos, mas temos de pensar na direcção do trânsito ou mesmo em novas técnicas de semáforos que diminuam velocidades, senão as mortes vão continuar.

 

Em média, que percentagem de pessoas morrem atropeladas?

– 60 por cento dos atropelamentos acabam em morte.

 

http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/nacional/portugal/mortes-vao-continuar

 

634 pessoas morreram na estrada este ano.

 

Menos 30 vítimas mortais, comparando com igual período do ano passado. Quinze pessoas morreram nos últimos nove dias de Novembro, fazendo aumentar para 634 o número de mortos registados desde o início do ano, de acordo com dados da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR). Entre 22 e 30 de Novembro morreram 16 pessoas, uma registada pela PSP e 14 pela GNR, e 61 pessoas sofreram ferimentos graves.

 

Desde 01 de Janeiro e 30 de Novembro morreram nas estradas de Portugal continental 634 pessoas, menos 30 comparando com igual período do ano passado. Entre as mesmas datas 2.140 pessoas ficaram feridas com gravidade, menos 275 do que no mesmo período de 2010. Os dados da ANSR integram informação da GNR e da PSP recolhida em Portugal continental. A ANSR contabiliza como vítimas mortais as ocorridos no local do acidente ou durante o transporte até à unidade de saúde.

 

http://www.tvi24.iol.pt/sociedade/acidentes-mortos-estradas-transito-tvi24-ultimas-noticias/1305314-4071.html

 

21/1/2009 - Criado grupo de trabalho para contabilização de mortos na estrada

Dados abrangerão óbitos que acontecerem até 30 dias depois dos acidentes...

http://www.tvi24.iol.pt/sociedade/acidentes-inem-psp-estrada/1034927-4071.html

 

 

Visão da Vida, 7 anos depois. (acidente de viação)

 

Muitos certamente ainda se lembrarão do dia 3 de Dezembro de 2004. Fez ontem 7 Anos que o ciclo normal da minha vida foi interrompido por um grave acidente de viação. A esta hora, tinha acabado de dar entrada na enfermaria, na cama 7, para começar um longo processo de recuperação.

 

Hoje, felizmente, faço a minha vida perfeitamente normal, praticamente sem qualquer limitação ou preocupação, mas há alguns pontos de gostava de abordar para dar o testemunho de alguém que viu a possibilidade da vida ficar alterada bruscamente até ao final dos seus dias. Já agora, continuo apaixonado pelo mundo automóvel. Só para localizar, seguia para Águeda, numa subida com duas faixas, perto da Mourisca, quando um Furgão (Renault Master) sem prioridade, passou para a minha faixa (a da esquerda), no momento em que eu estava a passar, batendo-me de lado. Com o impacto o carro que conduzia, um Opel Astra Sport Van 1.7 TDS, fez pião, e foi 'atirado' para a outra faixa, onde vinha um camião que embateu por
trás do Astra... http://forum.autohoje.com/forum-geral/104845-visao-da-vida-7-anos-depois-acidente-de-viacao.html

 

 

"Bem-aventurados os que têm fome e sede de Justiça, porque eles serão saciados". MATEUS: 5.6

 

 

 

 

publicado por Oficial de mecânica às 18:57 | link do post | comentar