Fatalidade na Auto-estrada e erro no IC5...

Despiste na A1

 

O agente de jogadores (José Manuel Leite, histórico dirigente do futsal português), morreu num acidente de viação pelas 16.45 horas de domingo, por razões ainda não esclarecidas e que estão a ser investigadas, e que vitimou também a sua esposa.

O agente de jogadores de futsal e futebol sofreu um despiste em Avanca, Estarreja, tendo tido morte imediata, tal como a sua esposa… O agente deixa dois filhos, Gustavo e Carlota, de apenas 12 e 10 anos, respetivamente.

 

http://desporto.sapo.pt/futebol/artigo/2011/10/02/faleceu_jos_manuel_leite.html

 

José Manuel Leite perdeu o controlo do automóvel, que embateu violentamente num poste que sustentava uma placa informativa, já para lá do rail da auto-estrada. O BMW 320 D terá "voado" sobre o rail antes de se desfazer contra o poste.

 

http://www.jn.pt/paginainicial/pais/concelho.aspx?Distrito=Aveiro&Concelho=Santa%20Maria%20da%20Feira&Option=Interior&content_id=2030520

 

http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/nacional/portugal/despiste-mata-casal-na-a1

 

Aumentam multas por usar telemóvel a conduzir.

 

Terceira infracção mais punida nunca mereceu campanha de prevenção

É uma evidência para quem todos os dias anda na estrada: há cada vez mais pessoas que conduzem a falar ao telemóvel e a escrever mensagens instantâneas (SMS). O número de multas tem aumentado, mas nunca houve uma campanha de sensibilização.

… apesar do aumento deste comportamento de risco e de esta ser a terceira infracção mais sancionada em Portugal - atrás do estacionamento irregular e do excesso de velocidade - nunca foi feita uma campanha de sensibilização sobre o tema.

 

Ao contrário do que se passa em Inglaterra ou nos Estados Unidos onde há uma grande preocupação com este problema e já foram feitas várias campanhas choque.

 

O artigo 84.º do Código da Estrada

determina que é proibido ao condutor utilizar, durante a marcha do veículo, qualquer tipo de equipamento ou aparelho susceptível de prejudicar a condução, a não ser que estejam equipados com auricular-mono ou sistema de alta voz, e cuja utilização não implique manuseamento continuado. Em relação ao envio de sms, o código não é explícito mas fonte da Autoridade Nacional de Segurança
Rodoviária (ANSR) sustenta que o envio de sms ao volante é "obviamente" proibido, visto que implica o "manuseamento
continuado" do telemóvel.

 

Para o director da Prevenção Rodoviária Portuguesa, "o ideal" seria a proibição total do uso do telemóvel ao volante visto que "é praticamente tão perigoso falar com o sistema de alta voz como com o telefone". "Todos os estudos dizem que é grave o efeito de distracção da conversa", diz José Miguel Trigoso.

 

Opinião partilhada pelo presidente da Associação de Cidadãos Auto-Mobilizados, Manuel João Ramos, que cita estudos que dizem que conduzir a falar ao telemóvel é tão ou mais perigoso do que circular com uma taxa de alcoolemia superior ao permitido

 

http://www.jn.pt/PaginaInicial/Sociedade/Interior.aspx?content_id=2030756

 

 

Estradas: Erro de projeto no lanço do IC5

no sentido Mogadouro/Miranda do Douro poderá causar acidentes de viação 28 de setembro de 2011.

 

O presidente da câmara de Miranda do Douro considera haver um “erro de projeto” no lanço final do Itinerário Complementar 5 (IC5) junto a Duas Igrejas, no sentido Mogadouro/Miranda do Douro, que poderá causar acidentes de viação.

“Desde o início que foi manifestada discordância pela forma como estava a ser executado o projeto. Agora, que o lanço do IC5 que liga Mogadouro a Duas Igrejas está terminado, antevemos que, no local, possam acontecer acidentes de viação com gravidade ”, disse à Agência Lusa Artur Nunes.

O autarca justifica a sua posição, afirmando que o IC5 termina de forma “abrupta” numa zona de “ligação” com a Estrada Nacional 221 (EN 221) que se
prolonga para a cidade de Miranda do Douro. “Os automobilistas percorrem vários quilómetros numa via rápida e, de repente, entram numa estrada com outras características. Pode até ter sido uma opção, por falta de verbas, mas é uma má opção”, justificou o autarca.


Artur Nunes garante que foram feitas diligências junto da Ascendi, detentora da concessão Douro Interior, das Estradas de Portugal e do Governo “e a resposta foi sempre a mesma, ou seja, falta de verbas para continuarem a ligação para Miranda do Douro e consequentemente para Espanha”. “Seria importante que, de uma vez por todas, se definisse se o IC5 se prolonga para Espanha, ou não, e no entretanto fazer pelo menos uma ligação condigna até à entrada da cidade de Miranda do Douro”, reivindica a autarca.


A agência Lusa contactou a Ascendi que remeteu uma justificação para as Estradas de Portugal, entidade da qual ainda não foi possível obter um esclarecimento. O lanço do IC5 entre Mogadouro e Miranda do Douro abriu ao tráfego no dia 21 de setembro.

Na região do planalto mirandês, o trajeto do IC5 é paralelo à atual Estrada Nacional (EN-221) que, desde janeiro de 2007 até ao início de setembro de 2011, foi palco de 222 acidentes, dos quais resultaram 10 vitimas mortais, 19 feridos graves e 121 feridos leves, de acordo com um balanço apresentado à Agência Lusa, pela GNR, em véspera de abertura do IC5. O valor da empreitada do troço entre Mogadouro e Duas Igrejas ronda os 45
milhões de euros, para uma extensão de via com cerca de 37 quilómetros, incluída na concessão Douro Interior, que junta o IC5 e IP2.

http://noticias.sapo.pt/infolocal/artigo/1189333.html

 

 

Esta
guerra civil não pára …

 

"... Nao há bandeira sem luta
Nao há luta sem batalha."

José Afonso

 

 

 

publicado por Oficial de mecânica às 12:02 | link do post | comentar