Polícia Municipal e PSP vs Planos Municipais...

“Planos Municipais de Segurança Rodoviária são prioridade”

 

Segundo a Governadora Civil de Santarém, Sónia Sanfona, “estes planos deverão ser implementados o mais rapidamente possível, sobre o território e os constrangimentos que são conhecidos.

Os planos rodoviários deverão ser harmonizados entre municípios pela intervenção das comunidades intermunicipais, por forma a corresponderem às necessidades concretas do “concelho”, mas assentes em critérios globais.

Pretende-se com isso facilitar o acesso a comparticipações financeiras com maior viabilidade para os municípios.

Por outro lado a harmonia entre planos permitirá que no atravessamento do território do distrito não sejam notadas diferenças entre concelhos na política de Segurança e Prevenção Rodoviária”... No Forum foi ainda discutida a acessibilidade e a mobilidade reduzida de alguns e de todos os cidadãos.

Na reflexão foi reafirmada a disponibilidade do Governo Civil, em se constituir como parceiro de todas estas entidades que participam no desidrato comum da prevenção da sinistralidade rodoviária, com os dados disponíveis das forças de segurança. http://radio.cidadetomar.pt/noticia.php?id=11348

 

Grandes obras no distrito de Bragança podem ter contribuído para o aumento da sinistralidade

Apesar de o relatório da Autoridade Nacional de Protecção Civil ainda não estar finalizado, pois falta contabilizar as vítimas que morreram nos hospitais nos 30 dias a seguir aos acidentes, já é possível observar que houve mais dois mortos do que em 2009 e mais 17 feridos graves em todo o distrito.

 

... “é ao cidadão que cabe, em primeira instância, a obrigação de diminuir a sinistralidade”. “Há um aumento de tráfego muito grande.

Viaturas a circular não só das empresas mas do transporte de trabalhadores.

Por isso, admite que haja um reforço do policiamento nestas vias, sobretudo no IP4.

Por outro lado, o Governador Civil não vê qualquer relação entre a extinção da Brigada de Trânsito da GNR e o aumento do número de vítimas

Em 2010 houve 12 mortos nas estradas do distrito de Bragança, mais dois do que no ano anterior, e 75 feridos graves, mais 17 do que em 2009.

Nesta contabilidade não entram os acidentes com tractores que fizeram ainda mais quatro mortos.

 

http://www.brigantia.pt/index.php?option=com_content&task=view&id=4923&Itemid=43

 

Operário Morre debaixo de retroescavadora

Ainda não se conhecem as causas do acidente que  vitimou Alexandre Manuel quando este trabalhava nas obras de construção da nova auto-estrada, no lugar de Covelo, em Gondomar... estava apenas para a empreitada da responsabilidade da empresa Dlace (Douro Litoral, ACE), que é um consórcio da auto-estradas liderado pela Brisa.

http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/nacional/portugal/morre-debaixo-de-retroescavadora

 

Polícia Municipal vs PSP

António Costa, autarca lisboeta, é socialista. Rui Rio, autarca portista, é socialdemocrata.

... Agora há uma causa comum a unir as lideranças à beira do Tejo e do Douro. Trata-se de uma união estratégica, que tem como pano de fundo a crise económica e a debilidade das contas dos respectivos municípios, e que visa a transferência das competências das multas de trânsito da Polícia de Segurança Pública (PSP) para a Polícia Municipal (PM).

 

Uma medida ainda envolta em mistério (e que carece de aprovação em assembleia), mas que, a concretizar-se, deixa as duas maiores cidades do país com o monopólio do trânsito, e das receitas provenientes das contra-ordenações... No actual contexto, as autarquias recebem 30% do total das coimas da Divisão de Trânsito da PSP, uma fatia que, no novo modelo de fiscalização, deverá aumentar de forma considerável.

AFINAL, QUEM FICA COM AS MULTAS?

... O autarca do PS enfatizou o problema actual da existência de uma “duplicação de meios”, referindo-se às funções da PSP e PM na área do trânsito em Lisboa, mas esquecendo-se da actuação da EMEL na fiscalização do estacionamento, caso contrário, teria de referir-se a uma “terciarização”.

 

O antigo ministro do MAI de Sócrates acredita que esta duplicação leva a uma “descoordenação”, que o novo protocolo pretende eliminar.

“Se dividirmos o trabalho, com as câmaras a tratar do tráfego e a PSP da segurança dos cidadãos, vamos ter um melhor trânsito em Lisboa e no Porto e duas cidades mais seguras, com a PSP a concentrar os recursos naquilo que deve, que é o combate à criminalidade e o reforço da segurança”, disse.

Rui Rio alinhou pelo mesmo diapasão. E, relativamente ao seu homólogo lisboeta, acrescentou que haverá muito “a ganhar se estiver centralizado num lado”, sublinhando o incentivo que esta decisão traria para os próprios agentes.

E o que pensam estes?

Estarão, de facto, entusiasmados? Ou estarão as duas autarquias e, em última instância, o MAI, a comprar uma batalha semelhante à da extinção da Brigada de Trânsito da GNR?

 

Para já, as fontes oficiais da PSP optam pelo silêncio. Mas já o Sindicato Nacional de Oficiais de Polícia (SNOP) considera esta mudança de tutelas um “escândalo nacional”. Em comunicado, o presidente do SNOP, António Resende da Silva, vai mais longe e mostra a sua visão sobre os motivos desta transferência de competências: “Malgrado para algumas pessoas, nunca a PSP fará caça à multa, perseguindo os cidadãos para, quem sabe, resolver os problemas financeiros de qualquer câmara municipal”, pode ler-se, no comunicado da SNOP.

 

Os desbloqueamentos e os reboques passaram a custar, no início deste ano, o dobro. E a Polícia Municipal poderá “ganhar” as competências (e as receitas, entenda-se!) da PSP nesta área.

As autarquias de Lisboa e Porto querem a PSP a tratar da criminalidade e a PM a fiscalizar o trânsito. A segunda área gera mais receitas…

 

ATÉ PORQUE OS REBOQUES AUMENTARAM 50%

O timing para esta mudança na tutela da fiscalização do trânsito em Lisboa e Porto parece perfeito.

Isto se tivermos em consideração que o Gover no publicou, no Diário da Repú blica, a 31 de Dezembro passado, uma portaria que, logo no dia seguinte

(1 de Janeiro deste ano), entrou em vigor e aumenta em 50% a tarifa a pagar pelo desbloqueamento de um veículo.

Com a nova tabela, o desbloqueamento de um veículo ligeiro em infracção sobe de €30 para €60; no caso dos pesados, aumenta de €60 para €120; no dos motociclos, de €15 para €30.

 

Facturação a dobrar numa das infracções mais “rentáveis”…

Se o veículo chegar a ser rebocado, o caso piora: o preço aumenta de €50 para €75, para os ligeiros, se for dentro das localidades.

Mas se o veículo for levado para um parque fora da cidade, a taxa sobe de €60 para €90 até 10 quilómetros, sendo que, em distâncias superiores, cada quilómetro extra passa a custar €2.

No mesmo diploma, o Governo acrescenta que estas taxas não haviam sido alteradas desde a sua criação, em 2001.

Ao mesmo tempo que alerta para o facto de, a partir de agora, passarem a existir subidas anuais indexadas à inflação do ano anterior, a entrar em vigor a cada dia 1 de Março.

 

Quem não gostaria de dispor destas receitas?

 

http://automotor.xl.pt/0211/300.shtm

 

2010 - GNR

Mais de 500 condutores foram detidos em 2010 por excesso de álcool.

Os dados são do Comando Territorial da GNR de Viseu que adianta ainda terem sido fiscalizados, neste âmbito, mais de 43 mil automobilistas.

 

De acordo com os dados agora divulgados, foram também autuados, com contra-ordenação, 1460 pessoas.

As infracções cometidas pelos condutores vão desde a

condução sem carta

falta de seguro e inspecção do veículo

excesso de velocidade

... quer com o sistema de radar móvel, quer com o radar fixo, situado na A25.

Da restante actividade fiscalizadora, realce para os 234 veículos autuados com

excesso de peso

infracção ao uso de telemóvel

infracção ao uso obrigatório dos sistemas de retenção

infracção sobre o seguro obrigatório

inspecção periódica dos veículos automóveis

infracções ao sistema de iluminação

pneumáticos.

... necessidade de manter e renovar a atenção sobre este fenómeno e de todos assumirem como seu o combate à sinistralidade rodoviária"

 

http://www.diariodeviseu.pt/index.php?option=com_content&task=view&id=10398&Itemid=135

 

(Parece que não é exclusivo de Portugal "mascarar" o nº de mortes em acidentes rodoviários)

La DGT falsea las cifras de fallecidos: desaparecen 365 muertos de las estadísticas

No es la primera vez que denunciamos la falta de transparencia y veracidad en las estadísticas de la DGT

http://blogs.terra.es/blogs/extreme/pages/la-dgt-falsea-las-cifras-de-fallecidos-desaparecen-365-muertos-de-las-estad-237-sticas.aspx

 

Um pouco de humor:

10 Coisas que deve fazer quando for abordado pela Polícia

http://www.youtube.com/watch?v=0y8KHi1dlAc

 

 

Há duas coisas infinitas: o Universo e a tolice dos homens.

Mas não tenho certeza do que afirmo sobre a questão do universo.

Einstein

 

 

 

 

publicado por Oficial de mecânica às 00:39 | link do post | comentar