Neve: Correntes nos automóveis...

Neve: Mais de uma dezena de estradas reabertas, quase 30 continuam cortadas.

http://noticias.sapo.pt/lusa/artigo/11844635.html

 

Secretário de Estado admite necessidade de mais meios de limpeza. 

Devido à neve e gelo, são dezenas as estradas cortadas nos distritos da Guarda, Viseu, Porto, Vila Real e Bragança.

http://tsf.sapo.pt/PaginaInicial/Vida/Interior.aspx?content_id=1726353

 

Uso de correntes de neve nos automóveis deve ser obrigatório.

O governador civil da Guarda, Santinho Pacheco, defendeu a aprovação de legislação específica que obrigue os veículos a utilizarem correntes de neve nas rodas, nos locais onde exista formação de neve ou gelo… o Código da Estrada não obriga o uso de correntes nas rodas dos veículos, mas defendeu que possa haver "uma postura municipal" que imponha essa determinação aos condutores.

http://www.google.com/hostednews/epa/article/ALeqM5ggZbfowo9cZNx5F--A4R6Qhn7Ohg?docId=11844311

 

  

(Em 29.01.2006 - PUBLICO.PT) Funcionários da Brisa limpam Auto-estrada

A1: Circulação interrompida entre Santarém e Leiria por causa da neve.

 

(Em 11 Janeiro 2009 – JN) A4 entupiu num país quase parado.

 

Brisa garante que respondeu prontamente.

Meios suficientes… o porta-voz da Brisa garantiu, contudo, que a situação só esteve mesmo complicada entre as quatro e as sete da manhã, no troço entre Baltar e Amarante. O "pior nevão dos últimos 30 anos" cobriu 90 km de auto-estradas: 40 deles na A3, os restantes na A4.

 

A concessionária garante, contudo, que teve meios suficientes para responder…

Depois de 2006, ano em que a neve chegou a Évora, a Brisa decidiu preparar-se em vez de contar apenas com empresas externas.

Determinou a constituição de reservas de 30 toneladas de sal no Outono e Inverno para aquelas duas vias e comprou duas espalhadoras de sal.

O drama da A4, explicou o porta-voz Franco Caruso, é ser uma auto-estrada de serra, num interior mais frio.

Depois do sal, insuficiente, foi espalhado, à pá, *cloreto de cálcio.

 

"Tem uma reacção química forte, que rebenta o gelo".

É colocado à frente dos rodados das viaturas, para lhes dar aderência e retirá-los.

A indicação posterior foi seguir pela direita, a velocidade lenta e constante, porque quantos mais carros passarem assim num troço, menos o gelo se pode formar. A decisão do encerramento, contudo, respeita à BT e justifica-se, essencialmente, pelo facto de os automóveis e automobilistas não estarem preparados para este tipo de situações.

 

Os poucos limpa-neves existentes estão afectos ao IP4 onde em dias de aperto, como ontem, não chegam para as encomendas.

Além dos camiões imobilizados - Brisa diz que para respeito dos tempos contabilizados nos tacógrafos, viveram-se momentos dramáticos em autocarros, onde houve quem passasse a noite, acusando a Protecção Civil de incompetência.

 

Frio: Protecção Civil escusa-se a comentar críticas de falta de coordenação

(12 de Janeiro 2009 - Sapo Notícias)

A Autoridade Nacional de Protecção Civil escusou-se a comentar críticas da Associação Portuguesa de Técnicos de Segurança e Protecção Civil (ASPROCIVIL) sobre ineficácia e falta de coordenação das autoridades na preparação para o mau tempo.

"O que preocupa a ASPROCIVIL, não é só o facto destas pessoas, terem ficado retidas horas a fio, mas sim o tempo que as estradas estão encerradas e a falta de meios com que se debatem os municípios e a empresa Estradas de Portugal, para fazerem face a estas necessidades, quando a ANPC e os seus Centros Distritais, poderiam e deveriam planear uma resposta e a respectiva mobilização de meios e recursos"…

http://ww1.rtp.pt/wportal/acessibilidades/legendagem/pecas.php?data=2009-01-10&fic=jornal2_1_20090110&peca=3&tvprog=16478

 

Correntes para neve - Brigada de Trânsito.

 

A Brigada de Trânsito (BT) da GNR admite que os condutores portugueses «usam pouco» correntes, embora admita a sua necessidade para quem viaja para locais onde exista neve… embora devessem utilizá-las «mais» como medida de segurança e de prevenção da sinistralidade.

 

Mesmo nos locais onde a sinalização recomenda o uso de correntes, é «pouco usual» ver carros portugueses apetrechados com este equipamento que aumenta a segurança rodoviária em estradas com neve ou gelo…

O responsável da BT referiu porém que há locais onde o seu uso é obrigatório - sempre que a sinalização rodoviária assim o referir - pelo que quem não o fizer está a transgredir - há conjuntos desde os 30 euros (para duas rodas) até aos 99 euros (também para duas rodas), dependendo o custo das medidas dos pneus.

http://sol.sapo.pt/PaginaInicial/Sociedade/Interior.aspx?content_id=118859

 

Águas subterrâneas da Estrela em perigo.

 

AS ÁGUAS subterrâneas da Serra da Estrela podem estar a ficar contaminadas devido à aplicação de sal-gema, usado no Inverno para fundir a neve e desobstruir as estradas.

O ambientalista defende que esse resultado pode ser uma consequência da infiltração do cloreto de sódio, usado pela Estradas de Portugal (EP) na limpeza da neve.

A EP contrapõe, porém, que o sal-gema é usado de forma semelhante «em todos os países» e que as análises feitas regularmente nunca mostraram «qualquer influência» da sua aplicação.

Estrada vai ser alargada - Os Amigos da Serra alerta ainda para o projecto de alargamento da estrada para a Torre, por considerarem que poderá vir a agravar o problema.

Defendem, por isso, o encerramento total daquele acesso rodoviário.

E relembram uma solução discutida desde os anos 60, que dizem ser mais rentável e amiga do ambiente: o teleférico.

http://www.kaminhos.com/artigo.asp?id_artigo=5756&id_seccao=3

 

Newswise - Uma tecnologia nova que remove o gelo de planos e pistas de decolagem e pavimentos do aeroporto com menos impato ao ambiente...

 

A tecnologia - D3 chamado: Degradable - produto para impedir a formação de gelo foi criado por uma equipe dos cientistas do instituto memorável de Battelle de Columbo, de Ohio, e do Ministério do laboratório nacional noroeste pacífico de Richland, Washington da Energia.

 

O D3 é uma família dos líquidos biodegradáveis non-toxic usados para remover e impedir a formação de neve e de gelo em aviões, em pistas de decolagem do aeroporto… D3 foi desenvolvido para ser mais a favor do meio ambiente e é manufacturado primeiramente dos materiais bio-baseados.

Os produtos de remoção do gelo award-winning “EcoFlo para a remoção do gelo dos aviões/anti-geada e Battelle-RDF para decicing do runwaypavement/antigeada” reduzem substancialmente níveis da toxicidade e dano a o meio ambiente potencial assim como a corrosão de materiais de aviões ao fornecer os mesmos desempenho e benefícios de outros produtos de remoção do gelo comerciais.

 

A avaliação destes produtos para o uso das forças armadas foi financiada parcialmente por dois programas do Departamento da Defesa -- SERDP (programa estratégico de pesquisa ambiental e de desenvolvimento) e ESTCP (programa ambiental da certificação da tecnologia de segurança).

D3 igualmente recebeu uma concessão 2004 do R&D 100 para a remoção do gelo dos aviões/anti-geada assim como uma concessão 2008 do R&D 100 para a remoção do gelo da pista de descolagem/anti-geada. http://www.pnl.gov

 

ATENÇÃO AO FRIO

 

A questão das pessoas serem responsáveis ou serem responsabilizadas.

Esperar pela sensatez de cada um é ainda uma utopia.

São muitas as falhas com que as pessoas preparam uma viagem de automóvel.

Muitos arriscam ao máximo quando têm as mãos no volante, também assim é no dia-a-dia nas estradas.

É uma questão de responsabilidade cívica e de cidadania.

 

 

 - O QUE FAZER:

 

 

- Vestir várias camadas de roupa em vez de uma única peça de tecido grosso.

- Protejer a cabeça com um chapéu ou gorro e usar luvas.

- Ter à mão lanterna e pilhas.

- Manter-se atento aos noticiários e às indicações da Protecção Civil.

 

 

- O QUE NÃO FAZER:

 

 

- Usar roupas muito justas ou que façam transpirar.

- Actividades físicas intensas que obrigam o coração a um maior esforço e podem até conduzir a um ataque cardíaco.

- Circular de carro nas estradas das regiões onde neva ou está mau tempo, excepto em caso de extrema necessidade.

 

“O homem sensato adapta-se ele próprio ao mundo. Aquele que é insensato persiste em querer adaptar o mundo a si próprio”.

Bernard Shaw

 

 

publicado por Oficial de mecânica às 15:55 | link do post | comentar